Tiradentes, o Mártir da Independência

Pesquisa e pequeno texto de Benigno Antonio Hermida Pinheiro Freire

Por Benigno Hermida 23/01/2019 - 14:15 hs

 

Tiradentes, cujo, o nome era Joaquim José da Silva Xavier, nascido a 12 de novembro de 1746, na Fazenda Pombal, em Minas Gerais, ele era chamado de Tiradentes, por ter tido como seu primeiro ofício, a função de dentista prático, à época. Do simples dentista prático, que era, chegou a Mártir da Independência. Mas, entre esses dois períodos de sua vida, Tiradentes, ainda foi tropeiro; minerador; comerciante; militar, onde exercia a função de alferes, que é o militar que carrega a bandeira e por fim, o ativista político, que, por sua luta a frente da Inconfidência Mineira, que teve seu começo na cidade de Vila Rica, em Minas Gerais. Este movimento, assim denominado, Inconfidência Mineira, tinha como seu único ideal, a Independência do Brasil. Por ser o grande líder desse movimento, Tiradentes retratado, na pintura, na foto ilustrativa, foi considerado, na época, uma espécie de subversivo, pela Coroa Portuguesa, que então, dominava, colonizava e tinha a posse do território brasileiro, de pleno e por completo, até os seus mais distantes rincões. Tiradentes, então, foi preso pelo exército, da Coroa Portuguesa e depois de julgado rapidamente, ele foi condenado à pena de morte, por enforcamento, o que aconteceu em 21 de abril de 1792, na cidade do Rio de Janeiro. No dia do enforcamento, Tiradentes seguiu da prisão, onde se encontrava, caminhando a pé, por várias ruas da cidade, do Rio de Janeiro, até ao local, de sua execução, em plena praça pública, o que foi acompanhado, por uma enorme multidão. Tiradentes tinha então, apenas, 45 (quarenta e cinco), anos, de idade.

O enforcamento de Tiradentes aconteceu no centro da cidade, do Rio de Janeiro, onde hoje, em sua homenagem, encontra-se a Praça Tiradentes.